Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2011

Homilia de um amigo de infância de Dom Manoel

Doutor em Direito Canônico, Mons José Geraldo Caiuby Crescenti conheceu Dom Manoel Pestana Filho em janeiro de 1943. José Geraldo tinha 12 anos de idade, Manoel Pestana, 14 anos. Em outubro de 1949, viajaram juntos para Roma. Foram colegas de turma na Gregoriana. Dom Manoel foi ordenado presbítero a 5 de outubro de 1952 em Roma. Mons. Crescenti, fambém em Roma, a 5 de julho de 1953. Dom Manoel retornou ao Brasil logo após a ordenação de Mons. Crescenti. Este permaneceu em Roma mais dois anos para estudar D. Canônico, mas mantendo contato epistolar com ele.Em Santos (SP), Mons. Crescenti foi companheiro de lutas e sofrimentos de Dom Manoel, juntamente com Pe. Heládio Alvarez Rodrigues. O trio recebeu o apelido irônico de "os três mosqueteiros". Por usarem batina, eram considerados "rebeldes" contra, talvez "uma autoridade pós-conciliar desconhecida e inexistente".A homilia proferida por Mons. Crescenti na Santa Missa de Sétim…
Imagem
Sobre a morte de meu Bispo Emérito


Desejo escrever melhor em outra ocasião, mas não quero deixar este momento em branco. No sábado passado, 8 de janeiro, por volta das 9 horas, faleceu Dom Manoel Pestana Filho, em Santos (SP). A Providência Divina quis que ele morresse na mesma cidade onde nascera e fora ordenado Bispo.
Estava lá de viagem, em visita a seus familiares e amigos. Faleceu no convento das irmãs da Toca de Assis, antes que pudesse retornar a sua casa em Anápolis (GO). O motivo da morte parece ter sido um enfarto.

Bispo Diocesano de Anápolis de 1979 a 2004, Dom Manoel conseguiu atrair a sua diocese do Centro-Oeste brasileiro gente de toda a parte. Ouvia-se dizer que lá havia um Bispo corajoso, fiel ao Magistério, obediente à Igreja. Fora apelidado "um novo Atanásio" por Dom Marcos Barbosa, monge beneditino do Rio de Janeiro.

Da Alemanha, os cônegos regulares da recém-restaurada Ordem da Santa Cruz vieram para …