Minha alma engrandece o Senhor...

Há 21 anos atrás eu recebia das mãos do saudoso Dom Manoel Pestana Filho a minha ordenação sacerdotal. Era o dia 31 de maio de 1992. Nessa data a Igreja comemora a Festa da Visitação de Nossa Senhora (embora em 1992 o dia 31 de maio tenha caído no domingo da Ascensão do Senhor).
Naquele dia eu não sabia - mas Deus sabia - que meu ministério sacerdotal seria dedicado à defesa da vida, mais especificamente à defesa dos não nascidos, como João no ventre de Isabel e Jesus no ventre de Maria.
Com Maria, "minha alma engrandece o Senhor", porque de fato, "o Poderoso fez em mim maravilhas". Fez e continua fazendo.
Peço aos amigos que agradeçam a Deus comigo, que orem pela minha perseverança e santificação e que não se esqueçam de pedir para mim a graça de uma boa morte.



Hoje, visitando o portal do Ateneu Pontifício Regina Apostolorum, descobri finalmente a nota que recebi em minha tese: 9,8 pelo texto escrito e 9,7 pela defesa oral. A média ponderada ficou em 9,8. Como é grande a misericórdia do Senhor! Espero poder em  breve imprimir a tese aqui no Brasil e torná-la disponível para todos os amigos. O nome dela: "A alma do embrião humano: a questão da animação e o fundamento ontológico da dignidade de pessoa do embrião".




Uma notícia triste, que tende a fortalecer o totalitarismo petista, é a indicação de Luis Roberto Barroso para ocupar uma vaga no Supremo. O indicado reúne em si duas desvantagens: é inteligente e é mau. Durante sua carreira como advogado, destacou-se por defender causas ignóbeis: o aborto de crianças anencéfalas, a destruição de embriões humanos, a união estável de pessoas do mesmo sexo e a não extradição do criminoso italiano Cesare Battisti. No entanto - é preciso reconhecer - a defesa foi feita com habilidade. Sua retórica foi posta não a serviço da lógica, mas da sofística. Com os malabarismos mentais mais estranhos, obteve que a legalização do aborto eugênico (no caso da anencefalia) fosse feita pelo Supremo Tribunal Federal sem passar pelo Congresso Nacional. E chegou ao extremo de convencer os Ministros da Suprema Corte que a Constituição era inconstitucional (ou que o círculo não era redondo?) por não reconhecer a "união estável" entre homossexuais. Foi então que o STF agiu não apenas como legislador positivo, mas como reformador da Constituição, reconhecendo aquilo que ela não reconhece.


Ocupando uma cadeira no Supremo, Barroso terá tudo para consolidar o domínio da ideologia petista. E tudo isso com os aplausos da multidão ao "grande jurista". De fato, Dilma Rousseff não podia ter indicado nenhum outro nome mais conveniente para consolidar a invasão de competência do Congresso pelo STF.


A sabatina de Barroso pelo Senado deverá ocorrer no dia 5 de junho, quarta-feira. Usualmente, para nossa tristeza, os senadores costumam curvar-se às indicações da Presidência da República. No entanto, vale a pena ligar para o Alô Senado (0800612211) e pedir que o nome de Barroso seja rejeitado.
"Solicito a Vossa Excelência que rejeite o nome de Luís Roberto Barroso, indicado para ocupar uma vaga no STF. Como advogado, ele sempre defendeu a invasão de competência do Congresso pela Suprema Corte (por exemplo, a "legalização" do aborto de anencéfalos e da união estável de pessoas do mesmo sexo). O Congresso precisa 'zelar pela preservação de sua competência legislativa em face da atribuição normativa dos outros Poderes' (art. 49, XI, CF)".

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

NOTA SOBRE MINHA CONDENAÇÃO POR DANOS MORAIS NO STJ

Um absurdo judiciário

Uma proposta de emenda à Constituição