“Dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus”

Em 29/07/2010, o Bispo de Guarulhos (SP) Dom Luiz Gonzaga Bergonzini publicou o artigo “Dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus”, no qual orienta os eleitores a não votarem em Sra. Dilma Roussef, por ser defensora do aborto.
Veja abaixo a íntegra do artigo, sobretudo a parte em negrito.
"Dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus" (Mc 12,17)
29-07-2010 - 18:38
Com esta frase Jesus definiu bem a autonomia e o respeito, que deve haver entre a política (César) e a religião (Deus). Por isto a Igreja não se posiciona nem faz campanha a favor de nenhum partido ou candidato, mas faz parte da sua missão zelar para que o que é de “Deus” não seja manipulado ou usurpado por “César” e vice-versa.
Quando acontece essa usurpação ou manipulação é dever da Igreja intervir convidando a não votar em partido ou candidato que torne perigosa a liberdade religiosa e de consciência ou desrespeito à vida humana e aos valores da família, pois tudo isso é de Deus e não de César. Vice-versa extrapola da missão da Igreja querer dominar ou substituir- se ao estado, pois neste caso ela estaria usurpando o que é de César e não de Deus.
Já na campanha eleitoral de 1996, denunciei um candidato que ofendeu pública e comprovadamente a Igreja, pois esta atitude foi uma usurpação por parte de César daquilo que é de Deus, ou seja o respeito à liberdade religiosa.
Na atual conjuntura política o Partido dos Trabalhadores (PT) através de seu IIIº e IVº Congressos Nacionais (2007 e 2010 respectivamente), ratificando o 3º Plano Nacional de Direitos Humanos (PNDH3) através da punição dos deputados Luiz Bassuma e Henrique Afonso, por serem defensores da vida, se posicionou pública e abertamente a favor da legalização do aborto, contra os valores da família e contra a liberdade de consciência.
Na condição de Bispo Diocesano, como r e s p o n s á v e l pela defesa da fé, da moral e dos princípios fundamentais da lei natural que - por serem naturais procedem do próprio Deus e por isso atingem a todos os homens -, denunciamos e condenamos como contrárias às leis de Deus todas as formas de atentado contra a vida,dom de Deus,como o suicídio, o homicídio assim como o aborto pelo qual, criminosa e covardemente, tira-se a vida de um ser humano, completamente incapaz de se defender. A liberação do aborto que vem sendo discutida e aprovada por alguns políticos nãopode ser aceita por quem se diz cristão ou católico. Já afirmamos muitas vezes e agora repetimos: não temos partido político, mas não podemos deixar de condenar a legalização do aborto. (confira-se Ex. 20,13; MT 5,21).
Isto posto, recomendamos a todos verdadeiros cristãos e verdadeiros católicos a que não dêem seu voto à Senhora Dilma Rousseff e demais candidatos que aprovam tais “liberações”, independentemente do partido a que pertençam.
Evangelizar é nossa responsabilidade, o que implica anunciar a verdade e denunciar o erro, procurando, dentro desses princípios, o melhor para o Brasil e nossos irmãos brasileiros e não é contrariando o Evangelho que podemos contar com as bênçãos de Deus e proteção de nossa Mãe e Padroeira, a Imaculada Conceição.

D. Luiz Gonzaga Bergonzini, Bispo de Guarulhos

Comentários

Paula Santos disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
Paula Santos disse…
Olá Pe. Luiz. Tudo bem com o Sr.?
Meu nome é Paula, sou católica e não tenho nenhum compromisso com partido político, mas gostaria de falar com o Sr. sobre o folheto que chegou às minhas mãos... Achei o teor do folheto um tanto quanto exagerado... distorcendo a realidade... Nele o partido dos trabalhadores é pintado como o partido do próprio capeta e sabemos que isto não é verdade. Como qualquer outro partido político, formado por homens, ele tem os seus problemas. Mas isto não invalida as coisas boas que já fez. Não estou aqui pra defender nenhum partido, porém achei que o conteúdo do seu e-mail informa de menos e tenta manipular demais os seus leitores, conduzindo-os a darem o seu voto a quem o Sr. acha que eles devam... O voto é pessoal e secreto, cada um tem o direito de votar em quem quiser. Não é pq não votarei em quem o Sr. acha certo, que irei cometer algum pecado. Pare de usar o nome da Igreja e de Deus para manipular as pessoas. Fiquei muito preocupada, pq senti o cheiro da ditadura no seu panfleto. O Sr. é cabo eleitoral de quem? Do Serra? Ah sim! Da coligação PSDB, PMDB e DEM, claro que dos integrantes destes políticos que são contra o aborto. Partidos cujos representantes já fizeram tanto pelo Brasil.. Tanto de bom quanto de ruim, como qualquer outro partido humano imperfeito que temos. Nossa tarefa como eleitores é a de procurar pelo menos ruim. O Sr. Padre com todo o respeito, deveria se preocupar mais em saber o que está dizendo e fazendo... Não use a fé das pessoas para empurrar na goela delas a sua leitura de mundo. A sua leitura não é a da Igreja e muito menos a de Deus.
Sou católica e posso pensar com minha própria cabeça, não preciso da sua visão parcial e preconceituosa. Deus o ilumine!
Pode até ser que este meu comentário não seja publicado no seu blog...ou será que o Sr. é democrático o bastante para permitir a expressão da minha indignação! Não é pq acredito em algumas coisas que deverei forçar os outros a acreditarem tb. Lembre-se que Jesus nos deu o livre arbítrio... ele não tentou manipular ninguém.

Paula Santos
paula_as@hotmail.com

Postagens mais visitadas deste blog

NOTA SOBRE MINHA CONDENAÇÃO POR DANOS MORAIS NO STJ

Um absurdo judiciário

Uma proposta de emenda à Constituição