E o Verbo se fez carne

Hoje celebramos o dia em que o Verbo se fez carne (25 de março), nove meses antes do Natal do Senhor.

Que mistério tão oculto... Aquele que os céus não podem conter ficou envolvido por nove meses nas entranhas de uma Virgem. Maria foi o paraíso onde Jesus, o novo Adão, deixou maravilhas de suas graças e bênçãos...

Quem pode separar Mãe e Filho? Como servir ao Filho sem servir Aquela a quem Ele foi submisso (cf. Lc 2,51)?

Seguindo o Espírito Santo, que falou por boca de Isabel, eu bendigo primeiro a Maria: "bendita és tu entre as mulheres". Em seguida, eu bendigo a Jesus: "bendito é o fruto do teu ventre".

A Maria eu bendigo como meio. A Jesus eu bendigo como Fim supremo de toda verdadeira devoção.

Nós, católicos, seguindo as palavras do Espírito Santo, chamamos Maria "a mãe do meu Senhor" (Lc 1,43), ou "mãe do meu Javé" ou mãe de Deus.                                                                                         
Que mistério encantador: uma criatura, sem deixar de ser criatura, gerar o seu Criador! Aquele que existia desde sempre como Deus recebeu a natureza humana de sua criatura: Maria! O Verbo se fez carne e habitou entre nós (Jo 1,14).

Maria não é empecilho para Jesus. Toda vez que ela recebe meus louvores ("Donde me vem a honra de receber em minha casa a mãe do meu Senhor? ... Feliz és tu porque creste..."), transfere-os a Deus ("A minha alma engrandece o Senhor...").

Eis o que diz São Luís Maria Grignion de Montfort sobre o Mistério da Encarnação:
O tempo não me permite deter-me aqui para explicar as excelências e as grandezas do mistério de Jesus vivendo em Maria, ou da Encarnação do Verbo. Contento-me, por isso, em dizer, em três palavras,
(1) que este é o primeiro mistério de Jesus Cristo, o mais oculto, o mais elevado e o menos conhecido;
(2) que é neste mistério que Jesus, em colaboração com Maria, em seu seio, [...] escolheu todos os eleitos;
(3) que foi neste mistério que ele operou todos os mistérios subsequentes de sua vida, pela aceitação deles: "Ao entrar no mundo, Jesus disse: Eis que venho, ó Deus, fazer a tua vontade" (cf. Hb 10,5-9). Por conseguinte, este mistério é um resumo de todos os mistérios e contém a vontade e a graça de todos
(Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem, n. 248)

 O mistério da Encarnação nos dá uma motivação profunda para lutarmos em defesa de toda vida concebida no seio materno. O que fazemos aos irmãos mais pequeninos, é ao próprio Jesus que fazemos (cf. Mt 25,40).

O escravo de Jesus em Maria,

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

NOTA SOBRE MINHA CONDENAÇÃO POR DANOS MORAIS NO STJ

Um absurdo judiciário

Uma proposta de emenda à Constituição